top of page

Philippe Guerdat: a busca pela medalha olímpica

Atualizado: 21 de fev.

O técnico do Time Brasil de Salto, o suíço Philippe Guerdat, conversou com a 2clac para um episódio do CLAC CAST. Em vídeo legendado, nossa conversa está disponível no Spotify e no YouTube


Neste episódio, Philippe Guerdat nos conta sobre a escolha do Time Brasil para Paris, as funções e pressões que o técnico sofre para montar a melhor equipe possível. Também falamos sobre o hipismo no Brasil em comparação ao cenário europeu e o que é preciso para se tornar um atleta de alto rendimento. 


Com extenso currículo no Salto, Philippe Guerdat foi cavaleiro olímpico e também representou seu país em campeonatos mundiais e europeus. Como técnico, foi campeão olímpico por equipe com a França, na edição Rio 2016. 


Desde que assumiu o Time Brasil em 2019, trouxe resultados muito expressivos não só em Copas das Nações, mas principalmente em Jogos Pan-Americanos: em Lima 2019, o Brasil foi ouro por equipe e individual, com a vitória inédita de Marlon Zanotelli e Sirene de La Motte. Em Santiago 2023, o Brasil foi bronze por equipes e ouro individual mais uma vez com Stephan Barcha e Chevaux Primavera Império Egípcio. 


Agora, Philippe está em fase de testes e observação, para a formação da equipe que irá representar o Brasil nas Olimpíadas de Paris 2024. "A função da CBH não é levar o um cavaleiro para ser o campeão individual, o papel da Confederação é levar o melhor time possível. E eu sempre vou trabalhar assim. Este é o objetivo principal", conta.


técnico da equipe brasil de salto comemora ouro individual do cavaleiro brasileiro

Com Stephan Barcha após o ouro no Pan de Santiago 2023

"Eu sei como é difícil, como é um trabalho duro para chegar na vitória. E quando os cavaleiros ganham, é muito bom. É como se eu ganhasse. Porque é um resultado que mostra que fizemos a decisão certa. Às vezes eu não faço a decisão certa. E eu também aceito isso. Como técnico, nem sempre você escolhe o melhor time, apesar de tentar" - Philippe Guerdat 


Durante o papo, também falamos sobre novas regras e mudanças necessárias para aumentar o bem-estar animal, questão que põe em risco a existência do esporte. Sobre a mudança para apenas 3 cavaleiros na equipe em Olimpíadas, o técnico conta que sempre foi contra: "Nós tivemos muitas reuniões e eu sempre fui, desde o começo, contra a mudança de regras nas olimpíadas. Tivemos isso há 50 anos e foi um desastre. Em Tóquio não foi bom, e agora seguiremos assim para Paris". 


"Os 10 melhores times vão para as Olimpíadas com o objetivo de uma medalha. E precisamos disso. Mas precisamos de um time, onde todos lutem por todos. Esse é o principal fator para um time como o do Brasil!" 


Diagnosticado com câncer e após um ano de muitas idas e vindas ao hospital, Philippe contou que o que mais o motiva a continuar buscando o sonho das medalhas é a paixão pelo esporte: "se eu não estou em um concurso ou acompanhando uma prova, acho que minha vida fica vazia".  


Clique aqui e confira o novo episódio do nosso podcast com Philippe Guerdat! 


Commentaires


bottom of page